quinta-feira, 23 de abril de 2009

Ela passa uma semana no Rio, uma em São Paulo, toca com Chico Pinheiro, conhece Tatiana Parra, grava um disco que canta desde Dorival Caymmi a Milton Nascimento melhor que qualquer brasileiro conseguiria fazer, vai pra um show em Conpenhagen, toca em Berlin pra não perder a viagem, volta pra Berklee, onde dá aulas, e no caminho dá um pulo na White ( Não tão White assim ) House, pra tocar pros Obamas, secretários de estado, Will.I.Am, papagaios de pirata em geral e, claro, pro Stevie Wonder.
Básico.
Ah, tem 24 anos, toca baixo acústico.
B-a-i-x-o A-c-ú-s-t-í-c-o.
Chupa neném.
Depois me pergunta porque não tenho saco de aturar cantoras e mais cantoras deste meu Brasil varonil.
Americano é safado. Consegue fazer tudo melhor. Tem um presidente de verdade, Jazz de verdade, cantoras de verdade.
Como dizia Ed Motta. Se eu fosse americano minha vida não seria assim.

1 comentários:

Banana com Canella disse...

Se eu fosse americano minha vida não seria assim. Essa frase é tudo. Eles têm a melhor mostarda do mundo!

Postar um comentário